sexta-feira, 11 de julho de 2008

DAMA DE NUREMBERG


  • Autor: João Ferreira
  • Materiais: Madeira de Nogueira e ferro
  • Dimensões: 83 x 26 x 23 cm
O último trabalho escultórico a entrar no espaço História e Arte tem como suporte criativo o conceito de “desvio” enquanto alteração sensível, erro desejado… É um corpo fragmentado, um torso feminino, fendido longitudinalmente, separando a frente das costas. Neste espaço “entre” o peito e as costas, cravam-se ferros pontiagudos, ligando ambas partes com um elo frio e agressivo, em contraste com o acabamento quente e suave do exterior do corpo fragmentado, em madeira de nogueira. Formalmente a referência evocada é a estrutura de tortura medieval denominada de Dama de Nuremberg, esta estrutura caracteriza-se pelo contorno antropomórfico, semelhante a um sarcófago. No seu interior, cravado de estacas pontiagudas, eram colocados os condenados.
A obra confronta-nos com a suavidade aparente, dos contornos aprazíveis de um corpo feminino, que oculta tortuosos espinhos…

5 comentários:

fernando josé disse...

Uns anos atrás tive oportunidade de visualizar no excelente espaço da Alfândega do Porto a exposição itinerante “instrumentos de Tortura”. Fiquei a saber o que já desconfiava. Que o homem/mulher é capaz de actos sublimes e de actos horríveis. A verdadeira “Dama de Nuremberg” estava lá exposta. Muito bem João ferreira e parabéns à autora deste blogue por permitir no seu (nosso) espaço a contemplação do abstracto/mistério, que são os pequenos (grandes) momentos da vida. Mais um motivo a justificar visita.

Art&Tal disse...

tadinho de quem lhe entrar na vida :)

Pequete disse...

Que belos, os trabalhos do João. E que bem os explicas tu, L.

anad disse...

O Museu da Graça Morais já está aberto? E esse espaço faz parte de um edifício com muitas valências? Não compreendi bem...
Um abraço
Anad

Ana Paredes Mendes disse...

deixei um desafio para ti ;)