quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

MUSEU MILITAR DE BRAGANÇA

Tenho desde há aproximadamente duas semanas o privilégio de todos os dias deambular pelas entranhas do castelo da minha terra… não apenas por deleite contemplativo, mas porque estou incumbida de proceder ao inventário da «sala das ofertas» do Museu Militar sedeado neste extraordinário castelo do século XV… tem sido um desafio apaixonante, nunca antes tinha tratado de colecções de armaria e confesso que a principio me intimidaram todos aqueles retratos de Generais, Coronéis e Tenentes… intimidação que o estudo vai ajudando a ultrapassar… e sobretudo o apoio de outros bloggers de museologia! A todos vós que por amor ao estudo e sem qualquer retribuição me tendes ajudado a consolidar a minha base de dados muito BEM – HAJAM! Espero em breve poder disponibilizar aqui no blog história-e-arte o manual de procedimentos bem como a base de dados, com a intenção de que sejam tão úteis como o vosso apoio!

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

HISTÓRIA DA INDÚSTRIA DAS SEDAS EM TRÁS-OS-MONTES

«De entre todas as manifestações da actividade que distinguem, com um traço acentuado, na terra portuguesa, os filhos de Trás-os-Montes, é digna de arquivar-se e justo que se ponha em destaque a sua predilecção pela cultura da amoreira e, consequentemente, a sua dedicação e o seu gosto, o seu cuidado meticuloso na criação do bicho da seda e, ainda, como conclusão efectiva, o brilho que deram à fabricação de sedas.» (Silva Esteves, A Industria das Sedas em Traz-os-Montes, in Illustração Trasmontana, 2º ano, 1909). É deste arquivar que trata o Professor Doutor Fernando de Sousa, de forma brilhante, apresenta-nos uma história da indústria das sedas em Trás-os-Montes, na qual, através da recolha e análise crítica das fontes escritas e materiais, assim como de testemunhos orais, apresenta uma explicação histórica, procurando, sempre que possível, enquadrar o tema e a sua problemática no contexto mais amplo da história da indústria das sedas em Portugal e da própria história da indústria têxtil portuguesa.

EXPOSIÇÃO DE MÁSCARAS



MÁSCARAS DE MIGUEL MOREIRA E SILVA

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

MÁSCARA TRASMONTANA

A máscara, enquanto símbolo – como escreve a autora -, “é uma representação que faz aparecer um sentido secreto, presente na metade visível do símbolo e que não pode figurar”, sendo, como tal, “simultaneamente significante e significado”; ilustra assim a marca humana de um pensamento, de uma actividade social que se exprime em costumes e hábitos colectivos. No caso presente, estamos perante uma comunidade cujos valores e expressões carecem da máscara como objecto simbólico por excelência.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

MUSAC, Museu de Arte Contemporâneo de Castilha y León


Como muitos habitantes da raia fronteiriça fui no passado 1 de Dezembro comemorar a nossa Restauração da Independência por terras castelhanas, e como muitos patrícios constatei mais uma vez que quiçá D. João IV se tenha precipitado! Ironias à parte… fui ver o MUSAC, Museu de arte contemporâneo de Castilha e León, foi dos museus de arte contemporâneo que já tive oportunidade de visitar que mais me impressionou. A verdade é que prefiro sempre museus de arte antiga… comovem-me mais, e alimentam a minha paixão pelas memórias do nosso passado, mas desta vez fui propositadamente a Léon para ver o museu de arte contemporânea… e adorei! As peças estão magnificamente bem expostas, são imensas e preenchem o nosso olhar até nos sentirmos inebriados, as formas, sentimentos, as cores sobrepõem-se num ritmo frenético que tanto nos produz expressões risíveis como de profunda angústia… achei a comunicação tão mais intensa que nos espaços mais despojados que nós aqui em Portugal continuamos a insistir…. é um espaço socialmente comprometido mas sem formalismos a que os nossos museus infelizmente ainda estão muito apegados, o ambiente é descontraído, até um pouco caótico com grupos de miúdos a correr por todo lado, respira-se «buen rollo» sem pretensiosismo intelectual, fiquei com a clara sensação de que é um espaço onde comunidade local e exterior frui realmente do que lhe é oferecido…

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

LIVROS DE ARTE

Já chegaram ao nosso espaço os tão esperados livros de arte para a nossa secção bibliográfica! cá vos esperam....

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

para embalar as montanhas brancas!

Enche-nos de orgulho poder divulgar a internacionalização dos artistas da terra… aqui vai uma sugestão colorida para animar este blog que estava a ficar muito a «preto e branco» … Bom trabalho Vicent!

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Abade de Baçal em Bragança candidato a Museu Europeu do Ano

«O museu do Abade de Baçal, em Bragança, é candidato ao prémio do Museu Europeu do Ano, tornando-se no primeiro de âmbito regional da rede nacional a concorrer ao galardão que anualmente distingue museus em toda a Europa.»
Quanto orgulho senti quando vasculhando o PÚBLICO li esta noticia... é muitissimo bem merecido o reconhecimento e oxalá se concretize!! Tudo se deve à fabulosa figura do Abade de Baçal, tratado pelos amigos por Robespierre ou apenas Robs (familiaridade a que me atrevo depois de ter tido o previlégio de ler a correspondencia pessoal do próprio... as pesquisas museológicas têm estes momentos de coscuvilhice pura) foi o mais incansável estudioso destas remotas terras trasmontanas...

terça-feira, 13 de novembro de 2007

EXPOSIÇÃO TEMPORÁRIA


Cabra Montês (pormenor) Ferro e metais reciclados soldados; 86 cm x 99 cm x 36 cm; A peça «Cabra Montês» foi premiada no passado concurso de escultura afecto à feira de caça - Norcaça – em Bragança. Expomo-la temporariamente no espaço História & Arte onde o autor, João Ferreira, mostra regularmente os seus trabalhos

terça-feira, 6 de novembro de 2007

RITUAIS E CULTOS


Bem sei que o tema não se propícia à característica descontracção da blogosfera, mas não resisto a deixar este comentário. Cumpri o ritual de visitar o cemitério no passado feriado e foi com pena que constatei que a tradição de decorar com flores frescas as campas térreas está a desaparecer… nos cemitérios urbanos já desapareceu há muito tempo, mas, nos cemitérios rurais era frequente encontrar decorações efémeras de riquíssimo valor simbólico, cálices, cruzes e resplendores delineadas com flores e preenchidos com pétalas, criavam fortes coloridos que poucos dias depois se transformavam em amontoados de flores secas… enfim, alegorias da própria vida… hoje as campas são de mármore e as flores de plástico, poluentes e quase eternas! … É urgente registar estas manifestações enquanto existem, deixo este apelo aos fotógrafos e demais perpetuadores da memória….

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

EXPOSIÇÃO DE AGUARELAS


As aguarelas de Manuel Ferreira representam, em manchas delicadas e evocativas a paisagem trasmontana, esse «reino maravilhoso» onde a vista se engrandece para descobrir a «largueza de horizontes» … bem-haja arquitecto por perpetuar a poesia que há na nossa terra!
ps. e por nos permitir usufruir das suas obras aqui no espaço história & arte!

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

CURSO DE AGUARELA

O curso de aguarela decorre com francos progressos dos alunos que o frequentam. É inevitável destacar a imensa capacidade pedagógica do Arq. Manuel Ferreira que pacientemente partilha os seus conhecimentos artísticos. É forçoso também distinguir o imenso talento de alguns alunos, se quiserem espreitar vejam aqui um desses exemplos!

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

VISITAS GUIADAS

Tive no passado sábado o prazer de orientar mais uma visita pela nossa encantadora cidade de Bragança… a visita correu lindamente, os turistas ficaram deliciados com as incríveis histórias que encerram os recantos da nossa cidadela, porém foram-se embora frustrados por não poderem gastar dinheiro nos tão típicos «recuerdos» que na vizinha Espanha (de onde eram oriundos) abundam nas zonas históricas! Pois eu bem sei que existem alguns espaços comerciais com produtos da terra e afins, mas estão demasiados dispersos e algo afastados da zona histórica…. é uma pena que não se aproveite este ímpeto consumista que envolve os turistas que nos visitam!!!

terça-feira, 16 de outubro de 2007

EXPOSIÇÃO DE ESCULTURA


hoje destacamos a peça «menina» inspirada nas meninas de Velázquez, meninas de côrte, meninas princesas. a menina está reinterpretada de forma tridimensional em madeira de nogueira e metais reciclados. Além do amplo volume do traje, ostenta uma máscara que lhe serve de rosto evocando-nos não só a faustosidade opulenta do barroco mas também a perfídia dissimulada dos jogos de poder, jogos que ela jogou e joga quando nos confronta com a persistência destas realidades.

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

SECÇÃO BIBLIOGRAFICA

Destacamos hoje a obra «AS FREGUESIAS DO DISTRITO DE BRAGANÇA NAS MEMORIAS PAROQUIAIS DE 1758» coordenada por José Viriato Capela com a colaboração de Carlos Prada de Oliveira, Henrique Matos e Rogério Borralheiro.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Percurso do Renascimento e Barroco em Bragança Testemunhe a austeridade dos jesuítas e assombre-se com a opulência do barroco. Percurso orientado com duração de 2 h
Percurso Medieval de Bragança Vagueie entre lendas de princesas e peregrinos percorrendo a cidadela e a zona extramuros. Percurso orientado com duração de 2 h

workshop de fotografia

Decorreu nos últimos dias de Setembro
o workshop de fotografia orientado por
Mónica Valente. Foi um pequeno curso
intensivo muito elucidativo que esperamos
poder repetir brevemente.