segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

MUSAC, Museu de Arte Contemporâneo de Castilha y León


Como muitos habitantes da raia fronteiriça fui no passado 1 de Dezembro comemorar a nossa Restauração da Independência por terras castelhanas, e como muitos patrícios constatei mais uma vez que quiçá D. João IV se tenha precipitado! Ironias à parte… fui ver o MUSAC, Museu de arte contemporâneo de Castilha e León, foi dos museus de arte contemporâneo que já tive oportunidade de visitar que mais me impressionou. A verdade é que prefiro sempre museus de arte antiga… comovem-me mais, e alimentam a minha paixão pelas memórias do nosso passado, mas desta vez fui propositadamente a Léon para ver o museu de arte contemporânea… e adorei! As peças estão magnificamente bem expostas, são imensas e preenchem o nosso olhar até nos sentirmos inebriados, as formas, sentimentos, as cores sobrepõem-se num ritmo frenético que tanto nos produz expressões risíveis como de profunda angústia… achei a comunicação tão mais intensa que nos espaços mais despojados que nós aqui em Portugal continuamos a insistir…. é um espaço socialmente comprometido mas sem formalismos a que os nossos museus infelizmente ainda estão muito apegados, o ambiente é descontraído, até um pouco caótico com grupos de miúdos a correr por todo lado, respira-se «buen rollo» sem pretensiosismo intelectual, fiquei com a clara sensação de que é um espaço onde comunidade local e exterior frui realmente do que lhe é oferecido…

3 comentários:

Pequete disse...

Despertaste a minha curiosidade... Onde fica este museu, em León?

espaço história & arte disse...

sim fica em Leon muito perto do palacio de S. Marcos, edeficio renascentista onde está instalado o parador... vale mesmo a pena e mesmo para miudos achei muito divertido, são só 2 h de caminho pela Puebla de Sanabria... venga apunta te q te va a encantar!
beij

Nuno disse...

E D. João, ao que parece, nem queria a coroa! Realmente há coisas que se fazem de forma precipitada. Já estive nesse museu e, como grande parte do que se faz em Espanha, é excelente. Por terras de Castela, por muito remota que seja a localidade, quase não se sente a interioridade que nós conhecemos tão bem..
Nuno