quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

MUSEU MILITAR DE BRAGANÇA

Tenho desde há aproximadamente duas semanas o privilégio de todos os dias deambular pelas entranhas do castelo da minha terra… não apenas por deleite contemplativo, mas porque estou incumbida de proceder ao inventário da «sala das ofertas» do Museu Militar sedeado neste extraordinário castelo do século XV… tem sido um desafio apaixonante, nunca antes tinha tratado de colecções de armaria e confesso que a principio me intimidaram todos aqueles retratos de Generais, Coronéis e Tenentes… intimidação que o estudo vai ajudando a ultrapassar… e sobretudo o apoio de outros bloggers de museologia! A todos vós que por amor ao estudo e sem qualquer retribuição me tendes ajudado a consolidar a minha base de dados muito BEM – HAJAM! Espero em breve poder disponibilizar aqui no blog história-e-arte o manual de procedimentos bem como a base de dados, com a intenção de que sejam tão úteis como o vosso apoio!

7 comentários:

Gi disse...

Já ontem estive por aqui a espreitarembora sem disponibilidade (mental também) para comentar. Espaço interessantíssimo, enriquecedor. Obrigada por mod ares a conhecer através da tua visita, raramente tomo a iniciativa, nãopor falta de interesse mas por manifesta falta de tempo.

um beijinho e obrigada pelo tempo que me tens dedicado, mesmo em silêncio :)

No pequenos Nadas tenho uma árvore para todos os que me visitam. também tu já és um raminho

alexandrecastro disse...

olá locas. bem sabes que passo por aqui muitas vezes mas nem sempre tenho aquele "tempo intelectual" para escrever....não leves a mal!
beijinho e confesso que continuo a gostar desta tua "cruzada".

Anónimo disse...

Muito interessante o trabalho que está a desenvolver. E não se intimide com os militares façanhudos, estará a trabalhar bem acompanhada. :)
Votos de bom Natal!!!

Jorge / oinventario@wordpress.com

espaço história & arte disse...

Gi, adorei a árvore e obrigado por m incluires...

um abraço

Boas entradas!!


Jorge, na verdade aos militares façanhudos, cujos retratos inicialmente me intimidaram, já lhes quero bem... acontece-me sempre este processo após algum estudo, mesmo por vezes com temas que à partida me parecem aborrecidos, quando começo a estuda-los rapidamente me apaixono e os tomo como meus... bem sei q este entusiasmo nem sempre é amigo da objectividade q se procura num estudo histórico...mas a verdade é q eu tenho algumas dúvidas quanto à objectividade das ciencias sociais... deambulações à parte!!

Votos de um excelente ano novo!

fernando josé disse...

Ainda tive a sorte, na minha infância, de ter todo um castelo para brincar. Era fácil trepar muralhas e não havia nenhum espaço que não explorássemos (exceptuando um ou outro trilho secreto que a lenda mantinha como certos). Depois veio o Museu Militar e ficamos com muitas áreas restritas, mas com todo um museu para visitar. Revolveres “Abadie”e espingardas “Lee Enfield” preenchiam o meu imaginário. Sem duvida um dos castelos mais lindos de Portugal, mas uma dúvida sempre me acompanhou. Será que nos meados do século passado, quando se procedeu ao restauro de alguns monumentos nacionais, tentando impor uma arquitectura conveniente à época, o nosso castelo não teria sido alvo dessas barbaridades? Outra dúvida é as marcas gravadas na pedra, que a foto mostra. Eram marcas dos mestres pedreiros?

Mork Blasphemy disse...

Que sorte tens,em poder explorar a nossa historia tao de perto e talvez ser a primeira pessoa em anos a ver e tocar alguns objectos com tanto valor hitorico/sentimental...
well done!!

história e arte disse...

Mork Blasphemy
agradeço o comentártio
há já 3 anos q não tenho essa sorte... é verdade, eu também considero um imenso privilégio poder estudar os objectos do museu (militar ou outro) ... ainda está muito por fazer nos nossos museus... então no militar!!!!