quinta-feira, 11 de setembro de 2008

TECTOS DECORADOS

Há 500 anos Miguel Ângelo pintava o tecto da capela sistina no Vaticano, que constitui, inquestionavelmente, uma das obras-primas da arte ocidental. A pintura de tectos foi um género praticado em Portugal com alguma insistência principalmente ao longo do século XVIII. Neste período vários tectos de espaços religiosos foram decorados em Bragança.
Confesso que tenho uma especial predilecção por tectos decorados, sobretudo pela dificuldade que supõe a sua correcta fruição… é que, para se observar adequadamente um tecto decorado é forçoso um certo sacrifício, uma certa dor no pescoço e um ligeiro desequilíbrio… sim, porque nunca é possível deitarmo-nos no chão para contemplar tranquilamente estas obras, geralmente colocadas em espaços onde o decoro não permite posturas tão descontraídas... :(
Tecto da igreja de Santa Maria, em Bragança, século XVIII, a composição central representa a ascensão da Virgem Maria.

6 comentários:

Viajante disse...

Olá!
Tecto fabuloso esse que nos mostras. Comecei a encartar-me por estas composições aquando de uma visita às igrejas barrocas de Minas Gerais.
E quanto à postura, acho que a dor e sacrifício era um pressuposto da sua fruição, não!?

Bjs e até ao meu regresso

Anónimo disse...

Belíssimo tecto. Não dá para ver na fotografia, mas o estado de conservação parece ser razoável. E o pintor ou oficina, são conhecidos?

www.patrimonios.blog.com

história e arte disse...

é de facto um belissimo tecto, e tal como mais dois q existem em outras igrejas de Bragança carece de elementos q permitam dizer c exactidão a oficina ou os autores q os executaram... infelizmente ainda está por fazer o inventário do património religioso do concelho de Bragança... o q supõe q falta ainda mmmmmmmmuito para conhecer...

o estado de conservação é uma incognita... aparentemente parece estável... oxalá!!

Anónimo disse...

Pois...o projecto de inventário do património religioso da diocese Bragança-Miranda já está a trabalhar, mas em outros concelhos. Espero que o dinheiro/equipa/vontade (institucional) não acabem antes desse projecto chegar a Bragança.
Mas não deixa de ser um desafio e estímulo para a investigação/estudo e inventariação o facto de se saber tão pouco sobre esses tectos.
E como diria Obélix (adap.): "Por Toutatis, que o "tecto" não nos caia em cima da cabeça!

patrimonios.blog.com

fernandinho vai ao vinho. disse...

Mais um local da nossa cidade a exigir (re)visita. Mas desta vez com olhos de quem vê.

N. disse...

Belo tecto, sim senhora! Essa perspectiva (barroca) de "tromp d'oil" poderá ser encontrada, também, no tecto de uma pequena capela de Carviçais (concelho de Torre de Moncorvo), mais pequena, mas muito semelhante ao que aqui se vê. Seria o mesmo artista/escola?? Só vendo...
Parabéns pelo blog, sempre actualizado com assuntos muito interessantes!
abraço,
Nelson