sexta-feira, 30 de abril de 2010

CASTELO DE BRAGANÇA

Desenho de Duarte D’Armas, c. 1509, pode observa-se ainda o edifício da alcáçova construida entre a torre de menagem e a torre da princesa.

Fotografia aérea do Castelo, (década de 60, século XX) e zona envolvente, sobre a muralha, contigua à torre da princesa, é possível ver o edifício do quartel e o campo da parada militar (fundo documental SIPA)
A porta da Alameda, visível nesta fotografia, era na época a entrada para o museu do público não militar, foi fechada durante as obras da DGEMN na década de 60 de século XX, nas mesmas obras foram restituídas as ameias à torre que a alojava. (fotografias do fundo documental SIPA) A torre de menagem do castelo, mandada construir por D. João I, pelos anos de 1409, (Alves, 2000), guarda no seu interior desde 1929 o Museu Militar de Bragança. Após a erradicação da última unidade militar de Bragança, em 1958, o Museu Militar foi temporariamente encerrado e trasladado o acervo para o Museu Militar de Lisboa. Já na década de 80 do século XX o museu volta a ser instalado no local de origem, a torre de menagem do castelo, e impõe-se como espaço \ memória das vivências militares da cidade. Em 1800, o Tenente General Manuel Jorge de Sepúlveda, na sua qualidade de Governador de Armas da província de Trás-os-Montes, mandou construir um quartel no castelo de Bragança, destinado a uma unidade de Infantaria. Para o efeito mandou demolir vários edifícios, aproveitou parte das muralhas para construir as casernas, e, para melhor ordenar a parada, foi desmantelada parte da casa do alcaide (Rodrigues, 1997). O quartel ocupou o castelo até 1958.

1 comentário:

Joaquim Santos Albino disse...

Fixe. Gosto do teu blog :o)